domingo, 14 de outubro de 2012

Segurança pública versus violência policial



Foto R7
Vivemos os dois lados da mesma moeda.

Hoje 900 policiais apoiados pelos fuzileiros navais tomaram, em 20 minutos o complexo Manguinhos e Jacarezinho para uma operação de pacificação. Nunhum morto, nenhum ferido. Nada.

Não foi uma ação de 20 minutos. Devem ter sido meses de planejamento para uma ação de tal envergadura que envolveu, além da polícia militar, batalhão de operações especiais - o BOPE, policiais de choque, policiais civis e o Grupamento Aero-Marítimo que contou ainda com o apoio de grupamentos de trânsito e agentes de assistência social, que atenderam mais de 80 usuários de drogas.

A ação conta com estrutura para atender denúncias de esconderijos e pontos de drogas para sanear a comunidade e instalar a 29ª UPP (Unidade de Polícia Pacificadora). Isto no Rio de Janeiro.

Em São Paulo está na rua um grande número de policiais em guerra com o PCC. Mortos dos dois lados sem que se veja pacificação nem a diminuição da criminalidade. Com o lema de "bandido bom é bandido morto", assistimos execuções por parte da polícia em franca afronta ao Estado de Direito. E o crime organizado responde com morte de mais policiais em uma escalada de violência onde quem fica no fogo cruzado é a população civil.

Será que a violência policial é a solução para a diminuição da criminalidade e diminuição do crime organizado? Ou seria mais importante do que isto um comando articulado que elimine e prenda, sem violência e obedecendo à Lei,  atos ilícitos e criminosos com força e determinação?

Com informações do R7 e Correio do Brasil

2 comentários:

  1. Um Estado onde impera o desgoverno, esperar o quê?!
    Espero que no próximo ano, com o Hadad, a situação comece a melhor.
    Um abraço Erick.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que o povo de São Paulo espera, Beth...
      Obrigado

      Excluir